Blog

Como preparar sua empresa para prosperar e sobreviver forte e saudável por gerações?

Postado em 20 de julho de 2021 por JValério
Como preparar sua empresa para prosperar e sobreviver forte e saudável por gerações PAEX

No post de hoje trazemos a visão de Simon Sinek, autor de O Jogo do Infinito, que aponta que o aprimoramento da resiliência e adaptabilidade a novos cenários são características essenciais na gestão

 

 Se você tivesse uma máquina do tempo, tipo a Delorean do aclamado filme De Volta para o Futuro, como gostaria de ver sua empresa daqui a 20, 50 ou até 100 anos? Já que, pelo menos por ora, fazer essa viagem no tempo não é possível, que tal projetar o futuro da sua empresa o mais longe que você conseguir?

Para Simon Sinek, autor de O Jogo Infinito, líderes que abraçam a mentalidade infinita têm empresas mais fortes, inovadoras e inspiradoras, que tendem a prosperar e a sobreviver por gerações e gerações. O alicerce robusto resulta em confiança entre os colaboradores que confiam uns nos outros e em seus superiores.

Aqui, no entanto, cabe uma ressalva:  pessoas que trabalham juntas não são, necessariamente, um time de confiança. Para desenvolver esse sentimento é preciso que os líderes criem um ambiente que permita que os colaboradores se expressem e que não se sintam intimidados em mostrar as próprias vulnerabilidades, tão inerentes ao ser humano.

Como consequência desse clima de confiança, os líderes alinhados com o infinito adquirem alta capacidade de se adaptar a novos cenários e seguir firmes, enquanto muitos concorrentes ficam no meio do caminho.

 

Aprender a jogar

Para aprender a jogar o que chama de jogo infinito dos negócios, Sinek dá alguns caminhos como, por exemplo, parar de pensar tanto em quem vence ou em quem é melhor e olhar para dentro da fortaleza da própria empresa. Neste percurso, ter objetivos claros é fundamental para seguir rumo ao infinito.

Parecem conceitos simples, não é? Mas Sinek deixa claro que não, não é fácil chegar lá. Isso exige um esforço real. Afinal, há uma tendência natural em se buscar soluções imediatas e dar ênfase a vitórias rápidas, que fazem bem ao ego. Isso é uma consequência direta da polaridade contumaz do mundo dividido entre perdedores e vencedores (algo que, grosso modo, só funciona a curto prazo). Para o autor, no entanto, manter essa visão de polos opostos não cai bem como estratégia para gerenciar empresas e organizações, que podem ter sérias consequências a longo prazo.

 

Jogar por uma causa justa

Mas, afinal de contas, como esse tal jogo infinito funciona na prática? Sinek afirma que nesse tipo de jogo há jogadores conhecidos e desconhecidos e que as regras não são tão claras como, por exemplo, as de uma partida de futebol. Além disso, a maneira como o jogo se desenrola pode mudar a qualquer momento.

Daí a vocação do jogo do infinito no processo de aprimoramento de qualidade como a resiliência. Nesse tipo de dinâmica, jogadores podem ser substituídos, mas a roda continua a girar. É porque, na verdade, o objetivo não é ganhar, mas continuar jogando, com foco no que Sinek chama de “causa justa”, que é a verdadeira essência de uma empresa.

Segundo Sinek, líderes no jogo infinito ficam mais equipados para cumprir com suas responsabilidades se compreenderem que estão atuando no papel de um executivo-chefe defensor, comunicador e protetor da visão. A tarefa desse líder é enfatizar qual é a causa justa da empresa e como torná-la cada vez mais forte e efetiva. A ele também cabe inserir a cultura de não pensar nos outros jogadores como competidores a serem derrotados, mas sim, enxergá-los como rivais dignos que nos auxiliam a sermos competidores melhores.

 

Mudança de mentalidade

De acordo com Sinek, o impacto dessa sutil mudança de mentalidade pode ser profundo no modo como tomamos decisões e priorizamos recursos, já que um rival digno serve de inspiração para a busca de aprimoramento. Em vez de focar no resultado, o jogo infinito tem seu foco no processo.

A mudança de perspectiva tem o poder de transformar o modo como os negócios são vistos. É o foco no processo e no aprimoramento constante que ajuda a revelar novas aptidões e a aumentar a adaptabilidade a novos cenários, com potencialização da capacidade de inovação à medida que anos, décadas e séculos avançam.

Para seguir firme no jogo do infinito, como bem lembra Sinek, é preciso coragem para enxergar o propósito da empresa com o fortalecimento constante da sua causa justa, com integridade e a certeza do sucesso a longo prazo.

 

Formação continuada é essencial para se preparar para o jogo do infinito

O aprimoramento constante, como vimos, é palavra de ordem no mundo corporativo, de acordo com a visão de Sinek. Daí a importância de treinamentos como o PAEX (Parceiros para a Excelência), oferecido pela JValério Gestão e Desenvolvimento, em parceria com a Fundação Dom Cabral (FDC).

O programa contribui com o desenvolvimento de uma gestão planejada, com foco na execução de ações para o funcionamento do negócio, no cumprimento de metas e conquistas de resultados. Além disso, a linha de ação do PAEX é sistêmica e convoca todos os setores da empresa a trabalharem integrados.

As parcerias estabelecidas entre os setores de finanças, processos, pessoas (RH), projetos, operações, logística, marketing e vendas, por exemplo, vão ajudar os gestores a redefinirem a estratégia da empresa.

O PAEX oferece um acompanhamento periódico de metas por meio da definição de indicadores de performance. A criação desse cronograma, que esclarece a responsabilidade de cada um na organização, dá condições para o negócio crescer e alcançar novos mercados.

Em resumo, o PAEX é um instrumento que irá te ajudar a jogar o jogo do infinito. Que tal começar hoje mesmo? Convoque sua equipe!s o jogo do infinito. Que tal começar hoje mesmo? Convoque sua equipe!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desenvolvido por Desenvolvido por The Way Comunicação
Quer saber mais?
Clique aqui para entrar em contato