Blog

Recuperação econômica depende de reformas e confiança no novo governo, diz especialista da FDC

Postado em 15 de março de 2019 por JValério

Em palestra no 1º Fórum Empresarial JValério, Carlos Primo Braga, professor da Fundação Dom Cabral, apresentou dados sobre economia brasileira e traçou cenário de oportunidades e desafios para Brasil

O 1º Fórum Empresarial JValério Fundação Dom Cabral realizado nesta terça-feira (12), em Curitiba, teve o Novo Contexto Brasileiro como temática principal. De acordo com especialistas e autoridades convidadas para o debate sobre o assunto, o cenário é propício para retomada do crescimento, que deve ser impulsionado a partir de novos investimentos, reformas estruturantes e confiança do consumidor.

Conduzida pelo ex-diretor de Política Econômica do Banco Mundial e também professor da FDC, Carlos Primo Braga, a palestra “O Futuro da Economia Brasileira” deu início ao evento que reuniu com exclusividade quase 200 empresários e executivos de alta gestão na capital do Paraná. O especialista apresentou dados detalhados da economia brasileira, destacando o índice de confiança do consumidor e traçando estimativas para o primeiro ano do governo Bolsonaro, que com apoio expressivo, pode emplacar mudanças econômicas decisivas. “Neste momento a torcida é grande, mas os riscos são elevados”, comentou.

Para o palestrante, o mercado vive com o governo um período que ele denomina de “lua de mel”: período esperançoso, típico do início do mandato. Contudo, segundo Braga, no caso do novo planalto, apesar de otimista, a expectativa sobre Jair Bolsonaro é a pior desde 1989, quando comparada com outros presidentes eleitos (Fonte: Radar 4E, 2019). Além disso, a previsão dos brasileiros em relação à estabilidade financeira de longo prazo é pessimista: 53% das famílias acredita que condições financeiras dos descendentes tende a piorar.

De acordo com o especialista, esse paradoxo entre expectativas de curto e longo prazo e a lenta recuperação brasileira faz o cenário brasileiro tão otimista quanto incerto. Para a melhoria de estimativas, é preciso a retomada da confiança – tanto interna quanto externa – e esta, segundo Braga,  depende da aprovação de reformas estruturais, sobretudo da previdência, o que tem sido uma das prioridades da nova equipe econômica, com proposta robusta e bem recebida pelo mercado. “As expectativas de curto-prazo são positivas, mas se ações práticas não forem adotadas de nada adiantará o otimismo”, resumiu.

Tomando a agenda reformista como prioritária para ajuste fiscal, Braga comentou ainda sobre a dificuldade de encontrar consenso entre os parlamentares para que a medida seja aprovada. “Vai ser uma disputa partidária fatiada pelos grupos de interesse envolvidos: não é fácil obter apoio popular para uma reforma dessa magnitude”, concluiu. “O potencial está em investir em infraestrutura, fazer uma reforma tributária e buscar produtividade”.

Em relação ao mercado internacional, o professor destacou a rápida mudança do centro da gravidade econômica, a desaceleração da economia global, tendências protecionistas, choques geopolíticos, as disrupturas ocasionadas pela tecnologia e o crescimento exponencial da China. Segundo Braga, o destaque conquistado pelo gigante asiático é uma tendência que deve continuar e ser seguido pela vizinha Índia, enquanto empresários do mundo todo terão de se adaptar cada vez mais rapidamente a substituição do trabalho humano por recursos de inteligência artificial.

Clique aqui e leia o artigo do professor Carlos Braga publicado no jornal Gazeta do Povo por ocasião do Fórum Empresarial.

Painel

Após palestra de Carlos Braga, a jornalista Mira Graçano mediou um painel sobre mesmo assunto com o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slavieiro, o presidente da FIEP, Edson Campagnolo e o presidente da FDC, Antônio Batista da Silva. Os debatedores fizeram coro ao otimismo apresentado durante a palestra, considerando que o mercado tem expectativa otimista com novo governo. “Não podemos perder a oportunidade hoje, independentemente da ideologia política”, afirmou Campagnolo, enquanto o presidente da FDC, Antônio Silva, destacou uma mudança de paradigma na nova juventude, que tem buscado propósito de maneira aliada à carreira. “É preciso pensar na dimensão da justiça social; o jovem de hoje quer propósito, quer engajamento, e eles estão chegando no mercado para mudar a forma como os negócios são conduzidos”, ponderou. Quando questionados sobre o custo social da linha adotada pelo novo governo federal, os painelistas foram unânimes em afirmar que a boa economia vai garantir a manutenção dos parâmetros de igualdade social.

Sobre o Fórum Empresarial

Essa é a primeira edição do fórum em Curitiba, neste formato, com selo da Fundação Dom Cabral, reconhecida como a melhor escola de negócios da América Latina por 13 anos consecutivos e entre as 12 melhores do mundo, segundo o Ranking anual de Educação Executiva do jornal inglês Financial Times.  O evento exclusivo para executivos de alta gestão é uma iniciativa da JValério, empresa associada à Fundação Dom Cabral no Paraná e em Rondônia. Além de Carlos Braga, o filósofo Mário Sérgio Cortella e o professor Sámir Lófti compuseram o quadro de palestras. Especialistas e executivos convidados, autoridades públicas e representantes de entidades de classe integraram as discussões com cerca de 200 empresários de 108 empresas paranaenses.

Sobre a JValério Fundação Dom Cabral

Fundada em 2005, a JValério é a representante da Fundação Dom Cabral no Paraná e em Rondônia, proporcionando programas de desenvolvimento de gestão e educação executiva que favorecem a otimização da atividade empresarial. Sendo uma das principais associadas da FDC no Brasil, a JValério já atendeu mais de 200 companhias e possui mais de 80 empresas ativas que vivenciam processos gradativos de transferência de conhecimento, com o intercâmbio de experiências em todos os níveis gerenciais. Tendo sustentabilidade como tema transversal em todos os projetos, a Fundação Dom Cabral é uma escola de negócios brasileira com 40 anos de atuação em diversos segmentos em vários países e é considerada  melhor escola de negócios da América Latina, por 13 anos consecutivos e entre as 12 melhores do mundo, segundo o Ranking anual de Educação Executiva do jornal inglês Financial Times.

Confira mais em: http://jvalerio.com.br/forum-empresarial/

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Desenvolvido por Desenvolvido por The Way Comunicação
Quer saber mais?
Clique aqui para entrar em contato